Já se cadastrou?

SAIR

 
 
FaceBookTwitterGoogle+

Montmartre

Montmartre é uma colina no norte de Paris na França. Tem 130 metros de altura e dá nome ao bairro circundante. 

Montmartre
A colina de Montmartre vista do topo da torre Eiffel. foto: Antonis Lamnatos

Montmartre é conhecida principalmente pela Basílica de Sacré Coeur em seu cume, mas outra atração, ainda mais antiga, é a igreja de Saint Pierre de Montmartre (foto abaixo), bem menor mas também muito interessante para se visitar.

Montmartre, o bairro boêmio de Paris

O bairro também é famoso pelo filme Amélie Poulain. Mas Montmartre é muito mais do que isso. Seus pintores de rua, suas ruas arborizadas, os cafés os pintores na rua compoem a atmosfera poética do bairro.

Muitos artistas lendários tiveram estúdios ou trabalharam em torno da comunidade de Montmartre, como Picasso, Salvador Dalí, Modigliani, Claude Monet, Piet Mondrian e Vincent van Gogh, entre tantos outros.

História de Montmartre

Montmartre possui um rico passado religioso com histórias e fatos que datam do início da nossa era. No ano de 250, Saint Denis foi aí martirizado e decapitado pelos romanos. Diz a lenda que ele pegou a própria cabeça no chão, a lavou em uma fonte, caminhou ainda alguns passos e somente depois caiu morto.

Já em 1590, durante o cerco à Paris, parte das guerras religiosas francesas, as colinas de Montmartre foram usados ​​por Henry IV para colocar sua artilharia onde eles poderiam atirar para dentro da cidade. O cerco acabou falhando quando uma artilharia se aproximou e obrigou Henrique a se retirar.

No século 19, os russos ocuparam Montmartre ao invadir a cidade no decurso da Batalha de Paris (1814). Eles usaram a altitude do monte para a artilharia bombardear a cidade. 

Quando Napoleão III  planejou fazer de Paris a cidade mais bonita da Europa, um primeiro passo foi a concessão de grandes extensões de terra perto do centro da cidade para os amigos de Haussmann e apoiadores financeiros. Isso repeliu os habitantes originais para a periferia da cidade - para os distritos de Clichy, La Villette, e a colina com vista para a cidade, Montmartre .

Tempos depois, Montmartre já atraía gente porque estava fora dos limites da cidade, livre dos impostos de Paris e, também graças ao vinho  produzido por freiras da colina. O morro tornava-se rapidamente uma área de consumo popular.

Saint-Pierre de Montartre. foto: GroumeA área se transformou em um centro de entretenimento, mas ficou decadente no final do século 19 e início do século 20. No cabaré Moulin Rouge, e em Le Chat Noir, artistas, cantores e artistas eram presença constante. No final do  do século 19 o distrito se torna, por fim, o principal centro artístico de Paris. 

Artistas como Vincent van Gogh, Raymond Duchamp, Henri Matisse, Renoir, Edgar Degas, Toulouse-Lautrec, Pablo Picasso moravam ou trabalhavam no bairro, buscando inspiração nas ruas arborizadas e na bela vista da cidade..

Havia um pontos de encontro de boêmios do bairro "R-26", um salão frequentada por Django Reinhardt, Josephine Baker, Le Corbusier, entre outros. Em 1947 Reinhardt imortalizou o local em sua  canção tributo " R. vingt -six ".

O Musée de Montmartre está na casa onde o pintor Maurice Utrillo viveu e trabalhou em um estúdio no segundo andar . A mansão no jardim na parte de trás é o mais antigo hotel em Montmartre, e um dos seus primeiros proprietários foi Claude Roze , também conhecido como Roze de Rosimond , que o comprou em 1680. Roze foi o ator que substituiu Molière , e, como seu antecessor , morreu no palco. A casa foi o primeiro endereço de Montmartre, Pierre- Auguste Renoir e muitos outros nomes movido através das instalações